Pesquisa

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Tomé, um homem de Fé (parte 2)


Tomé sempre foi hostilizado e apontado como um exemplo de um homem sem fé. Temos a ignorância de tirar conclusões precipitadas somente através de uma passagem, estamos muito envolvidos com a tradição, prontos para apontar o dedo, sem antes conhecer a história. Não analisamos ou examinamos tudo, aliás esse é um grande problema atual que afeta a muitos, que não se dispõe a estudar a Bíblia. A interpretação e o estudos das escrituras não se baseia somente em uma só passagem bíblica.
Vemos com grandes olhos Pedro, Tiago, João que são os mais populares. Mas quando olhamos para Tomé, vemos um homem sem fé e fraco. Estamos errados. Tomé nos demonstra uma grande amizade com Cristo. Exemplo de um homem que lutava contra si todos os dias em busca das respostas que sua alma ansiava em encontrar. Exemplo de homem que amava seu Mestre e demonstrava toda sua sinceridade e honestidade para com Ele. Diferente de nós, que amamos esconder nosso eu, nossas vontades e até o nosso caráter diante de Jesus.

Será que hoje temos coragem de morrer com Cristo? Tomé teve.
(Em João 10.22) Jesus estava em uma festa; enquanto passeava pelo Templo os judeus o rodearam e começaram a fazer lhe perguntas. Como sempre Jesus os respondeu com grande autoridade, furiosos eles pegam em pedras e o ameaçam o matar ali mesmo. Jesus escapa juntamente com seus discípulos, partindo para as proximidades do rio Jordão, ficando alguns dias por lá. Sabendo da notícia de que Lázaro estava morto, ele decide voltar. Mas para voltar eles teriam que passar por Jerusalém, para então chegar até Betânia, cidade onde Lázaro estava sepultado. Assustados os discípulos o lembra que a alguns dias atrás os judeus o tentaram matar e todos temem em voltar.
Quem fala mais alto no meio dos doze, não é o autoritário Pedro, nem mesmo o que dissera que era mais amado, João. Foi TOMÉ, o que todos tacham por sem fé, levanta a voz e grita alto.” VAMOS MORRER COM ELE TAMBÉM’’. Esse era o sem fé? Sinto me pior do que ele.
Muitos não querem abrir mãos de suas próprias vidas por amor a Cristo. Amamos demais nossos próprios prazeres, vontades e interesses. Para Tomé, Jesus era tudo que ele tinha, era seu amigo e companheiro, iria com Ele para onde quer que fosse, pois Tomé entendera que a salvação se encontrava em Jesus, e a vida sem Ele era pior que a morte. Estamos dispostos a seguir Jesus por interesses e benefícios, isto é fácil. Agora segui-lo até a morte, tem que ter muita fé!

Tomé desejava encontrar o caminho.
 (Em João 14.5), Ao ouvir de Jesus que não ficaria por muito tempo com eles, Tomé se entristece, e quer saber o caminho para encontrar Jesus novamente. Só ele teve a coragem de fazer a pergunta que era decisiva para todos. Ele perguntou porque estava prestes a perder um amigo, e não queria passar o resto de sua vida longe dele. Ele amava muito a Jesus, e não queria voltar à vida que tinha antes.Uma vida cheia de caminhos tortuosos e falsos. Penso na grande alegria que penetrou no coração de Tomé, por saber que o seu amigo era o seu caminho, sua verdade e sua vida.

Eu e você estamos interessados em que caminho seguir? E para seguir a Cristo é preciso pisar onde seus pés pisaram, tocar onde suas mãos tocaram e olhar para onde ele olhava. E você vem me dizer que Tomé não tinha fé? Somos piores do que ele.

Todos citam a passagem de João 20.29, para justificar a ideia da incredulidade de Tomé. Mas vamos lá:
(Marcos 16.9-15) e ( João 20.20,21). Todos os outros discípulos também duvidaram da ressurreição de Cristo.Todos estavam reunidos com medo dos judeus, então Jesus aparece no meio deles e os saúdam com a Paz. Porém nenhum deles demonstrou reação alguma, foi preciso Jesus mostrar as marcas nas mãos e em seu tórax para que eles cressem. Marcos ainda foi mais enfático e nos diz que o próprio Jesus também os chamou de incrédulos e duros de coração.(Marcos 16.14)

Naquela ocasião Tomé não estava juntamente com eles, talvez o desespero e a dor o fizeram a chorar longe dali. Quando retorna, os outros contam que viram ao Senhor, ele sem saber o que pensar e desesperado por uma esperança, quer ver Jesus, e não somente ver, mas tocar em suas feridas.
Que maravilhoso desejo de uma experiência e uma comunhão maior com Jesus. A esperança de rever seu amigo o faz suspirar. Depois de oito dias, talvez os oito dias mais angustiantes na vida de Tomé, Jesus novamente aparece no meio deles. Voltando somente e especialmente para falar com Tomé, que desfruta de uma comunhão maior que os demais, pois somente ele toca em suas feridas.
O termo que Jesus emprega ‘’não sejas incrédulo’’. Se refere a uma fé vacilante e inconstante. Para Jesus, Tomé precisaria agora de uma fé firme, pois os acontecimentos a se seguir seriam de grandes batalhas, lutas e dores, pois o cristianismo entraria em choque com os Judeus.

A fraqueza de Tomé fez ele se aproximar de Cristo. Ele foi sincero e muito honesto com suas emoções. Não escondeu nada de ninguém e falava abertamente de seus sentimentos. Não se misturava em meio as multidões, desejava sempre buscar verdades e uma transformação em seu caráter.
Se ele fosse um homem sem fé, porque então estaria com Jesus, mesmo sofrendo retaliações e ameaças? Poderia muito bem tê-lo o abandonado, pois oportunidades não faltaram. Antes esteve com Cristo em todas as situações. Mesmo nos momento mais difíceis, não abandonou seu amigo e Mestre.

Diferente de nós, que o abandonamos por qualquer coisa.


 Que Deus nos fortaleça!

Por Alisson Bruno

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Tomé, um homem de Fé


Assustou? A tempos ouvimos o contrário em relação a vida de Tomé, o incrédulo.
O que não percebíamos é que simplesmente o seu desejo era ter uma intimidade de fé maior, mais próxima, e não uma experiência vivida por outros. Um típico caso que ocorre hoje nas igrejas, um tradicionalismo barato vivenciado então por muitos, onde sou o que o outro é, e não o que me torno em Cristo.
Desde então o cristãos hodiernos tem perdido sua identidade, transformando-se em verdadeiros fantoches, manipulados por muitos.

O problema é da igreja irmão! É nada, puramente nosso, por não sermos como Tomé, sedentos pela verdade examinando o que é falado, sendo críticos construtivos. Alçando voos maiores a cada dia pelo conhecimento puro e simples de Cristo. O maior estágio de um cínico é se mascarar de uma fé ouvida não condizente com a palavra, por isso tantos fracos e doentes.
Esta palavra é para mim e para você, por pensarmos que podemos tudo, suportamos tudo, conseguimos tudo, esquecendo uma das maiores dádivas de Cristo, a humildade.
Está na hora de admitirmos nossas falhas e voltarmos a Cristo, para tocá-lo pela fé, experimentá-lo, vivenciá-lo e anunciá-lo ao mundo.
Ainda que sejamos considerados como fracos, até não espirituais, mas que possamos fazer como Tomé, ousar questionar para o bem da própria alma, nosso “ser”.
Apenas um toque nas feridas e Tomé é curado (Isaias 53.5), tanto da alma como do espirito.(1 Pedro 2.24).

Reflita:
( João 11.6), é possível ser fraco na fé, mas não duvidar da fidelidade de Cristo.
Foi um homem de coragem, perseverança, esperança na salvação e de atitude.
Reconhece que não há vida sem Cristo, pois estava disposto a morrer com Ele.
Foi um exemplo de amor ao próximo.
(João 14.6), Tomé reconhece que precisa de um caminho, que sem Jesus não a como ir, saber, muito menos viver.Reconhece que a maior dor, o maior vazio existente,  é tentar viver sem Jesus.Experimentou a dor da perca. Nós não aprendemos a perder.
(João 20), Era ousado e questionou. Tendênciamos acreditar em tudo por não sabermos lidar com as dificuldades.
Sendo monoteísta, chama Jesus de ''Senhor meu e Deus meu'', palavras não pronunciadas por nenhum outro.
Um homem que para muitos sem fé, incrédulo. Mas discípulo que evangelizou a Pártia e pela tradição cristã posterior, estendeu seu apostolado a Pérsia e a Índia.
Uma dúvida transformada em compromisso de viver com Cristo e para Cristo.
E nós?
João 20.29: Disse Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem aventurados os que não viram e creram!
Estes somos nós.

As aflições dos santos, promovem seu crescimento.

Amazing Grace
por Adriano Gontijo.
continua...

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Tenho Medo


Tenho medo de amar, de não suportar, de não ser correspondido.

Tenho medo das densas nuvens, dos mares revoltos, de estradas retas, do amor imaginário.

Tenho medo de me perder no oculto do meu ser, na ingratidão de não perceber.

Tenho de me arriscar, com a possibilidade de não conquistar os desejos do meu coração.

Tenho medo de criar expectativas, diante das incertezas da vida, de não mais enamorar.

Tenho medo de não compreender, por saber que na incompreensão encontro meu viver.

Tenho medo de gostar, de quem não gosta de mim, de querer, sem saber o fim.

Tenho medo de ter medo, de me perder no meu conceito, que tudo pode ser, dependendo do meu ver.

Tenho medo de mim mesmo, de pensar e não fazer ou fazer e não pensar, de tudo isso me tornar.

Tenho medo de sonhar, sonhar e acordar, refletir e não sentir o desejo de poder amar.

"Onde abundam as dores brotam os licores" Freud
Diante das lutas, desesperos, dores, incompreensões, frustrações e anseios, perco o medo por saber que tarde ou cedo Ele vem me ajudar.

’Não tenha medo, porque Eu sou contigo, não te assombres, porque Eu sou o teu Deus, eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.’’ Isaias 41.10

 ‘’A impossibilidade está nos olhos de quem não tem esperança’’ Adriano Gontijo

Amazing Grace

Por Adriano Gontijo

sábado, 18 de janeiro de 2014

Reflexões de um Miserável

Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?Romanos 7:24

Hoje acordei com uma vontade de desistir. Abandonar tudo. Os problemas são muitos, as inquietações fazem meu coração tremular. As forças, já não mais as tenho. O silêncio toma o lugar de minhas palavras.
Máscaras? As tenho pendurado na parede do meu quarto, onde escolho uma sempre que preciso disfarçar o meu verdadeiro eu.

É sozinho que compreendo que não sou quem Deus gostaria que eu fosse.
É sozinho que sei que tudo que me resta é somente me apegar em sua misericórdia.
É sozinho que todas as verdades vem à tona, e vejo o meu “mundo” desmoronar em minha cabeça.

Desculpas eu já as usei, e nesse momento somente me servem para me enganar. As minhas vontades só me levam para mais longe; tão longe que já não consigo enfrentar a realidade. Ás vezes é um grito de uma alma angustiada e abatida, que sabe que a realidade não é tão colorida como se imagina. Eu bem sei que eu poderia amar mais, me dedicar mais. Porém o orgulho já faz de mim seu escravo, e a única coisa que consigo enxergar em minha frente são relances de uma vida que poderia ser vivida. Eu disse bem. Poderia, mas não a vivo. Porque as oportunidades perdi. Os valores troquei, e sei que teria sido mais feliz se tivesse consciência de que a morte é uma realidade que acompanha a todo homem. Pois entendo que os valores que vem de Deus, duram para sempre e não terminam juntamente com a minha existência terrena.

Oh! Miserável homem que sou. Envolto em fraqueza e carência. Necessitado de uma esperança. Tenho que admitir, não sou tudo aquilo que os outros veem, não sou espiritual demais, e nem forte o suficiente para bater em meu próprio peito e vencer as muralhas que a vida me impõe.
Os porquês, e as dúvidas já são participantes da minha caminhada. E muitos dos meus sorrisos só servem para maquiar a vida que não tenho. Consigo ser para alguém o que não consigo ser para Deus. Desesperado por uma aparência ou aceitação, me enterro no silêncio da frustração.

Mas quando eu aceito a realidade, e de maneira honesta me entrego a graça de Cristo, todo o meu ser se alegra, compreendendo que é somente Nele que encontro a satisfação que tanto procurava. Já não preciso das máscaras e nem da vida medíocre e falsa inventada por mim mesmo. Em Cristo recebo a vida abundante que todo homem deseja, me apego o que Ele tem a me oferecer. Desfruto de sua maravilhosa graça, pois compreendo que as minhas fraquezas me fazem mais humano e mais dependente. Tais fraquezas me tornam sincero diante de um amor que escolheu me alcançar.
Cristo, somente Cristo é capaz de se aproximar de mim. Tocar em minhas feridas e oferecer seu perdão.
Palavras me faltam, pois não consigo esconder Dele o quão miserável eu sou. A minha alma o deseja, e encontro em Jesus tudo o que falta em mim. Ele é a minha própria vida, o anseio de uma alma ferida. Nele me escondo, quando eu mesmo não me acho. Liberdade! Já posso gritar. Ele me salvou das minhas questões mais profundas, onde homem nenhum poderia me responder.
Amado Jesus, o que posso lhe oferecer? Em mim, Miserável ser não há nada. Até a minha fervorosa gratidão são insignificantes diante de Ti. Me encontro somente em teu caminho, tenho esperança somente em tua palavra, sou atraído pelo seu amor. Me lanço completamente em seus braços!
Quando recebo Cristo, as cadeias de uma vida falsa são quebradas, entendo que não são as minhas virtudes que fazem de mim aceitável, mas sim as minhas fraquezas, pois a graça de Cristo só tem eficácia na vida de um miserável, que reconhece a necessidade e o valor de um perdão.
''Vivo em perseverança, com as forças renovadas na esperança. Sendo aperfeiçoado nas minhas fraquezas, pois são elas que me levam até Jesus.''

E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. 2 Coríntios 12:9


Por Alisson Bruno

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Estou Só !

 

Ando pelas estradas, contemplo o céu azul, observo as pessoas. Onde estão os seres humanos?
Estou só!
Vivo vagueando pela imensidão dos meus livros em busca de resposta.
Estou só!
Estagnado pela dificuldade de apenas olhar nos olhos, tocar ,sentir, vibrar um outro ser.
Estou só!
Perambulando em meus pensamentos em busca de algum sentido.
Estou só!
Vivo em meio à multidão de pessoas que se perderam em seus bel-prazeres.
Estou só!
Nomofóbicos ,assim estão se tornando aqueles que poderiam me tirar da solidão, me estender a mão, agraciar meu coração.
Estou só!

Vivendo, pensando, cantando e as vezes até chorando, mas feliz por saber que mesmo na solidão de pessoas, me encontro com Cristo que disse: ”não vos deixarei órfãos, mas voltarei para vós” (Jo 14.18)

Amazing Grace.

Adriano Gontijo

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Quando me torno maior que Jesus!



Quando não tiro mais tempo para oração. (Lc 18.1)

Quando penso que o alimento terreno me basta (Mt 4.4)

Quando gasto meu dinheiro comigo mesmo, saciando meus prazeres e me esqueço dos pobres e necessitados (Is 52.2)

Quando o dinheiro se torna o meu deus (Mt 6.24)

Quando ouço a palavra e não à cumpro (Tg 1.22,23)

Quando penso mais nas coisas terrenas, do que as de Deus. (Cl 3.2)

Quando não consigo suportar a escassez. (Fp 4.11-13)

Quando penso que sou salvo pelas obras. (Ef 4.8,9)

Quando valorizo mais outro evangelho, que não seja o Evangelho salvífico. (Gl 1.6-9)

Quando não percebo que diante dos problemas a graça de Deus me basta. (2Co 12.8-10)

Quando super valorizo os dons e me esqueço do mais excelente. (1Co 13.1,2)

Quando penso que por ser evangélico, sou melhor que outras pessoas (Rm 7.24; 1Tm 1.15; Ef 3.8) 
"Estou farto de semi-deuses! Onde é que há gente no mundo?" Fernando Pessoa.
Quando penso que ser salvo, me dá a liberdade para viver de qualquer jeito (Hb 5.9)
É só pensar! Reflita nas suas prioridades.

Amazing Grace.
Adriano Gontijo

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

AMAZING GRACE



A história do autor de Amazing Grace

Por volta de 1750, John Newton era o comandante de um navio negreiro inglês. Os navios faziam o primeiro período de sua viagem da Inglaterra quase vazios até que aportassem na costa africana. Lá os chefes tribais entregavam aos Europeus as "cargas" compostas de homens e mulheres, capturados nas invasões e nas guerras entre tribos. Os compradores selecionavam os espécimes mais finos, e comprava-os em troca de armas, munições, licor, e tecidos. Os cativos seriam trazidos então a bordo e preparados para o "transporte". Eram acorrentados nas plataformas para impedir suicídios. Colocados lado a lado para conservar o espaço, em fileira após a fileira, uma após outra, até que a embarcação estivesse "carregada", normalmente até 600 "unidades" de carga humana. Os escravos eram "carregados" nos navios para a viagem através do Atlântico. Os capitães procuraram fazer uma viagem rápida esperando preservar ao máximo a sua carga, contudo a taxa de mortalidade era alta, normalmente 20% ou mais. Quando um surto de desinteria ou qualquer outra doença ocorria, os doentes eram atirados ao mar. Uma vez chegados ao Novo Mundo, os negros eram negociados por açúcar e melaço que os navios carregavam para Inglaterra no pé final de seu "comércio triangular." John Newton transportou muitas cargas de escravos africanos trazidos à América no século XVIII. Numa das suas viagens, o navio enfrentou uma enorme tempestade e afundou-se. Foi nesta tempestade que Newton ofereceu sua vida a Cristo, pensando que ia morrer. Após ter sobrevivido, ele converteu-se verdadeiramente ao Senhor Jesus e começou a estudar para ser um Pastor”. Nos últimos 43 anos de sua vida ele pregou o evangelho em Olney e em Londres. Em 1782, Newton disse:  "Minha memória já quase se foi, mas eu recordo duas coisas: Eu sou um grande pecador, Cristo é o meu grande salvador." No túmulo de Newton lê-se: "John Newton, uma vez um infiel e um libertino, um mercador de escravos na África, foi, pela misericórdia de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, perdoado e inspirado a pregar a mesma fé que ele tinha se esforçado muito por destruir.


De traficante de escravos a pregador - A história de John Newton. Brian Edwards. Ed. Fiel. 2001.
O sorriso escondido de Deus. John Piper. Shedd Publicações. 2002.
Maravilhosa Graça. Phlip Yancey. Ed. Vida. 2005.

Alisson Bruno

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Simples Assim

Quanto poder, quanta riqueza, beleza total, imensidão, contemplação, imaginação, infinidade, magistral. 
Sei lá. Indefinível.
Pensou o que? algo tangível? Não, Não!
Simples assim o pôr do sol.
Pensar que muitos buscam uma vida, que qualifico como não vida, em coisas tão passageiras. 
O ter. Á o ter...
 Em detrimento o ser, eu quero isto, preciso disto, invejo aquilo, tudo ilusão, tudo passa, vaidades.
Simples assim. Condiz com uma visão de vida em sábias escolhas, simplicidade no observar, entender, que ser é algo além, muito mais que quantidade de coisas.
Simples assim, observar o pôr do sol, ouvir o vento, sentir a natureza, tocar a imensidão criada por Deus.
Simples assim, entender que nos caminhos da vida, observar, escolher, compreender, esperar, ansiar é algo considerável.
Simples assim. Você pode viver e viver ou apenas ser mais um na existência finita.
E nesse viver, escolher um caminho.
Disse Jesus: “eu sou o caminho, e a verdade e a vida; Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” ( João 14.6).
Simples assim. Um caminho de paz, de alegria, de felicidade, mais também de dor.
Inquietudes.
Um caminho que fará sentido se Cristo for nosso guia.
Há os problemas. Problemas são apenas equações a serem resolvidas.
As bênçãos contemplem; e não acumulem.

Simples assim. Depende de cada um de nós querer vivenciá-las.

Simples assim como o pôr do sol.


Amazing Grace.

por: Adriano Gontijo

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A Salvação é Tudo que o Homem Precisa


Cristo quando começou seu ministério estava consciente que a maior necessidade do homem era a salvação, e nunca pregou outra coisas a não ser esta mensagem. O homem estava morto, doente e sem esperança, e foi para esse o propósito de sua vinda (Lc 5.27-32). Temos ouvido tantas mensagens onde o foco não é mais a salvação e muito menos vida eterna, hoje o importante é pregar uma mensagem que atraia multidões, que encham templos e abarrotam bancos. Jesus sempre foi honesto, nunca omitiu nada, e não se preocupava com números de pessoas ou o sucesso ministerial, não veio para satisfazer o ego das pessoas e nem trazer uma mensagem de auto ajuda. Ele veio pregando a verdade que tem o poder de libertar o homem por completo. Sua mensagem continha a condenação que abria o caminho para o consolo. O evangelho de Cristo traz a boa notícia de Deus, e só entendemos esta notícia quando temos a consciência que existe a má noticia e sua justa condenação. Evangelho este que confrontava o homem, seus méritos, e seus próprios valores.
 Jesus não pregava sobre vitórias, sonhos ou outras coisas parecidas, é certo que em seu ministério Ele operou muitas curas e maravilhas, mas além de um ato de misericórdia e compaixão, o objetivo principal era para que todos cressem de fato que Ele era o Messias prometido. Lamentavelmente, a salvação tem sido deixado de lado ou até mesmo esquecida, porque esta não traz lucro e nem atrai multidões. O evangelho é simples, e não precisamos enfeitá-lo como  fosse uma árvore de natal, precisamos é estar conscientes de que a salvação é o suficiente para o homem, pois a mensagem atinge todo o ser do homem, em corpo, alma e espírito. Mas talvez você esteja pensando que o ser humano precisa de algo a mais, seja amor, carinho, sustento, esperança, consideração. Mas a mensagem da salvação por si só já é completa, ela abrange todo o âmbito de nossas vidas, mudando nossos valores, nossas emoções, nossas vontades, nosso convívio com o próximo, a maneira como lidamos com o dinheiro, de como tratamos nossa família e de como vivemos em meio a sociedade. Se o propósito final não for salvação e uma mudança de caráter, a mensagem não é verdadeira. Precisamos voltar a bíblia e observar a Paulo, João, Pedro e principalmente o mestre Jesus, onde suas mensagens eram recheadas de poder, e causavam realmente uma transformação de vida. Mesmo em condição deplorável, o homem consegue ter uma vida consciente e tem a possibilidade de exercitar a sua mente e a sua vontade, Deus abençoa tantos justos como os injustos (Mt 5.45). Porém o seu foco, suas vontades e seus conceitos morais não estão de acordo com os propósitos de Deus. E é nesse ponto em que os que crêem em Cristo se diferem com as demais. Todo o ser humano precisa ser salvo da ira de Deus, e esta salvação não somente inclui a área espiritual, mas o ser em um todo e até ser salvo dele mesmo, pois o coração do homem é enganoso e precisa ser moldado (Jr 17.9).

por: Alisson Bruno